Empresa Azul Linhas Aéreas vai auxiliar na distribuição das vacinas. Foto: Tony Winston/Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde anunciou, na quarta-feira (9/12) que vai apresentar o plano de imunização contra a Covid-19 aos brasileiros em breve, em evento. Segundo o ministro Eduardo Pazuello, o documento passará ainda por uma revisão técnica final antes de ser enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF). “É importante informar que o plano está estruturado, mas pode sofrer alterações à medida que os ensaios clínicos das diferentes vacinas sejam concluídos, as mesmas sejam registradas na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), incorporadas ao Sistema Único de Saúde (SUS) e adquiridas”, explica.

Os eixos prioritários que guiam o material são: situação epidemiológica, atualização das vacinas em estudo, monitoramento e orçamento, operacionalização da campanha, farmacovigilância, estudos de monitoramento pós-marketing, sistema de informação; monitoramento, supervisão e avaliação; plano de comunicação; encerramento da campanha. As fases do plano preliminar priorizam grupos, que levam em conta informações sobre nuances epidemiológicas da Covid-19 entre os brasileiros, bem como comorbidades e dados populacionais.

Na primeira fase, a prioridade será de profissionais da saúde, população idosa a partir dos 75 anos de idade, pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência (como asilos e instituições psiquiátricas) e população indígena. Em um segundo momento, pessoas de 60 a 74 anos. Na terceira fase deverão ser imunizadas pessoas com comorbidades que apresentam maior chance para agravamento da doença (como diabéticos, cardiopatas, pneumopatas e portadores de doenças renais crônicas, entre outras). A quarta e última fase deve priorizar professores, forças de segurança e salvamento e funcionários do sistema prisional.

Programa Nacional de Imunizações (PNI)

O Programa Nacional de Imunizações (PNI) atende, atualmente, uma população de 212 milhões de pessoas. Conforme o Ministério da Saúde, o programa possui ampla expertise em vacinação em massa e está preparado – tanto no âmbito técnico quanto no de infraestrutura – para a vacinação contra a Covid-19, sem que a demanda do calendário normal de vacinação da população seja afetada. Em todo o Brasil são 38 mil salas de vacinação.

Parceria na distribuição de vacinas

Também na quarta-feira, o Governo Federal informou que firmou parceria com a Azul Linhas Aéreas para distribuição gratuita de vacinas contra a Covid-19 para todo o país. A expectativa do Ministério da Saúde é que o apoio garanta mais celeridade e segurança ao processo logístico de imunização da população brasileira. A empresa já apoiava o governo com o transporte de profissionais de saúde, ventiladores pulmonares, medicamentos e equipamentos de proteção individual para o enfrentamento à pandemia.

*Informações do Ministério da Saúde