Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Nesta segunda-feira (23/3) foi aberta a campanha nacional de vacinação contra a gripe. Com a intenção de evitar a sobrecarga nas unidades de saúde por causa dos casos de influenza, a campanha foi antecipada este ano e será realizada até 22 de maio. A imunização será feita em três etapas destinadas a grupos prioritários, considerados mais vulneráveis aos vírus que causam a doença (Influenza A – H1N1, Influenza A – H3N2 e Influenza B). Idosos e trabalhadores em saúde compõem o grupo atendido na primeira etapa.

O segundo grupo, a partir de 16 de abril, é formado por professores de escolas públicas e privadas e profissionais das forças de segurança e salvamento. Já na terceira fase, que começa no dia nove de maio, mesma data do Dia D de mobilização, estão crianças de seis meses a menores de seis anos, gestantes, puérperas, povos indígenas, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade.

Farmácias privadas podem aplicar a vacina

As farmácias privadas que tiverem interesse e estrutura profissional suficiente poderão aplicar doses da vacina que protege contra a influenza durante o período da campanha. A Portaria da Secretaria da Saúde (SES) número 213/2020, que regula a parceria o governo do Rio Grande do Sul e as farmácias privadas, foi publicada na última sexta-feira (20/3). A resolução tem caráter excepcional, em decorrência da pandemia da Covid-19 e da situação de calamidade pública vigente no Estado, e busca evitar aglomerações nos postos de saúde. Os insumos distribuídos pelo poder público deverão ser ofertados gratuitamente e somente ao público-alvo da campanha.

Fonte: Governo do Estado