A produção de um chip para computador coloca o Rio Grande do Sul na briga entre os principais produtores mundiais de alta tecnologia. O produto, que será lançado no mês que vem, foi tema de debate nesta quarta-feira (24/10) durante o Fórum Brasil-Coreia, realizado em São Leopoldo, no Vale dos Sinos.

A novidade é fruto da parceria firmada entre empresas e universidades de São Leopoldo e da Coreia do Sul. Os resultados aparecem no aumento dos investimentos, principalmente na área de tecnologia.

Desde o ano passado, a HT Micron já produz chips para cartões de créditos e telefones celulares. Agora, a empresa passará a fabricar memórias para computador.

O projeto prevê a produção do chip de memória DRAM (Dynamic Random Access Memory, um tipo avançado de memória RAM utilizada em sistemas eletrônicos digitais, como notes, netbooks e ultrabooks. A grande vantagem é o custo menor e a possibilidade de armazenar mais bits em um mesmo espaço. Um chipconsegue registrar 100 músicas ou 100 fotografias. Oito chips juntos formam a memória de um computador de 2 gigabytes.

A iniciativa é inédita no estado e credencia o Rio Grande do Sul e o Brasil a competir nos principais mercados mundiais do setor. A HT Micron passa a ser a única empresa brasileira a produzir esta tecnologia – além dela, apenas uma multinacional estadunidense, com sede em São Paulo, produz esta memória.

Fonte: Site G1 e J.U.Online

Créditos Destaque: sxc.hu