Foto: Daniela Dimer

*O texto a seguir integra a matéria de capa da Evidência deste mês:

Foto: Arquivo Pessoal

Um folião apaixonado. É assim que o relações públicas e produtor de eventos Sérgio Ávila (60) se descreve ao contar a trajetória no Carnaval. O gravataiense, que também foi professor universitário e se dedicou à produção teatral, sempre teve uma forte ligação com a arte. É com entusiasmo e, em alguns momentos, com muita emoção que ele relembra o caminho repleto de alegrias, conquistas e reconhecimento pelo trabalho que desenvolve com amor e empenho. O destino se encarregou de apresentá-lo ao universo carnavalesco em 1990. Na época, visitar os barracões das escolas de samba de Porto Alegre durante os finais de semana era sinônimo de diversão. Artista plástico, se dispunha a auxiliar na confecção e finalização de fantasias. Entre uma agremiação e outra pela qual passou, descobriu a grande paixão pelo Carnaval. E, em 2006, resolveu mostrar que também tinha samba no pé, estreando na passarela do Complexo Cultural do Porto Seco como representante da União da Vila do IAPI.

Foto: Arquivo Pessoal

O ano de estreia na avenida do samba é inesquecível para Sérgio, que comemorou a premiação Estandarte de Ouro em duas categorias, Alegorias e Adereços e Comissão de Frente. O ano seguinte também ficou na memória. Foi em 2007 que o carnavalesco ajudou a Acadêmicos de Gravataí a alcançar o quarto lugar do grupo especial do desfile da capital gaúcha. Em 2008 e 2009, permaneceu na escola de sua terra natal, porém nos dois anos seguintes colaborou com a Império da Zona Norte, dando atenção especial à criação das alegorias e adereços comemorativos aos 35 anos da instituição. Em 2012, o artista esteve na Praiana, tendo papel fundamental para que o grupo fosse campeão, e na edição posterior retornou à Onça Negra, mais uma vez para uma ocasião especial. No desfile de 2013, a Acadêmicos prestou uma homenagem aos 250 anos de história da cidade, o que foi uma das passagens mais emocionantes da carreira do produtor de eventos. “Foi um ano de glória. Ali me despedi do Carnaval de rua de Porto Alegre.”

Entre 2014 e 2020, o artista plástico levou seu talento para São Leopoldo, Guaíba, Rio Pardo e Santa Cruz do Sul. Nesta última cidade, recebeu o convite para um novo trabalho: “Fui convidado pelos organizadores da grande festa da alegria, a Oktoberfest, para ser o responsável pelas alegorias e coordenação dos desfiles natalinos. Estabeleci residência nessa receptiva cidade germânica que me conquistou”, conta. Há cinco anos em Santa Cruz, o folião celebra o reconhecimento e admiração da população, que sempre prestigia as belíssimas atividades da Oktoberfest. Mas não pense que o Carnaval ficou para trás! “No ano passado, fui convidado para ser Rei do Bailinho da Borges, tradicional evento popular que reúne aproximadamente quinze mil foliões. Foi uma explosão de emoções!”, salienta o artista, que se apresentou ao lado da atriz Pilli Calvin.

Homenagem inesquecível

Foto: Arquivo Pessoal

Sabe aquelas fantasias lindas e luxuosas que encantam quem assiste aos desfiles de Carnaval do Rio de Janeiro? Sérgio adquiriu uma delas e a guarda com todo o carinho em seu ateliê. No local, tem outras peças cheias de histórias das festas carnavalescas. A grande paixão pelo evento é reconhecida pelo público que acompanha o seu trabalho. Tanto que foi contada pela Escola de Samba Bem Vinda, de Alvorada, que o prestigiou com o tema-enredo sobre a sua vida, em 2017. ”Foi uma homenagem inesquecível! Minha vida ser cantada num samba-enredo! Chorei com a letra e fui consagrado o mago dos salões na avenida!” O título de Mago dos Salões foi uma referência ao trabalho de decoração dos clubes que o gravataiense desenvolveu durante grande parte da carreira.