O município chegou ao coeficiente de mortalidade infantil de 7,3 para cada mil bebês nascidos vivos, de acordo com dados oficiais divulgados pela 1ª Coordenadoria Regional de Saúde, referentes ao ano de 2012. Na década de 80, o número chegou a 33,8.

Medidas adotadas pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) colaboraram para o bom resultado. Entre elas estão a qualificação da assistência pré-natal, ampliação do serviço de Atenção Básica com a contratação de mais médicos gineco-obstetras, qualificação das equipes de Estratégia de Saúde da Família (ESF), aumento do número de médicos de família nos bairros e a reorganização do atendimento pré-natal de alto risco, realizado no Hospital Padre Jeremias.

A qualificação da assistência à criança, com a criação do ambulatório de recém-nascidos e prematuros de risco, com neonatologista, foi outro ponto importante. Localizado no Centro de Especialidades Clínicas, o ambulatório garante um cuidado ampliado aos bebês.

Também estão sendo realizadas visitas domiciliares por uma técnica de enfermagem para acompanhamento dos prematuros ou de risco, residentes em Cachoeirinha, encaminhados tanto pela Secretaria Municipal de Saúde, quanto pela rede assistencial do município.

Outras ações que contribuíram para a redução do índice de mortalidade infantil foram a captação precoce de gestantes para a realização do pré-natal através da disponibilização do teste rápido de gravidez (beta HCG) em todas unidades de saúde, além da ampliação e consolidação do Comitê Municipal de Prevenção do Óbito Materno, Infantil e Fetal, composto por membros da área da saúde, assistência social, conselhos e sociedade civil organizada.

Fonte: http://www.cachoeirinha.rs.gov.br

Créditos destaque: Reprodução Site da Prefeitura de Cachoeirinha