Segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), os bancários de todo o país entraram em greve hoje (18/09), por tempo indeterminado. Desde a primeira semana do mês, quando a Federação Nacional de Bancos (Fenaban) apresentou proposta de reajuste salarial distinta das reivindicações, os trabalhadores ameaçam a paralisação.

Apesar disso, o consumidor  não fica dispensado de pagar faturas, boletos bancários ou qualquer outra cobrança. No entanto, a empresa credora ou concessionária de serviço deve oferecer outras formas e locais para que os pagamentos sejam feitos. A recomendação do Procon é que o cliente entre em contato com a empresa e peça essas opções de forma de pagamento, como por internet, casas lotéricas ou código de barras para quitação nos caixas eletrônicos.

Reivindicações
Segundo nota da confederação, entre as reivindicações dos bancários estão o aumento de 10,25% nos salários, uma participação nos resultados equivalente a três salários mais R$ 4.961,25 fixos, piso salarial de R$ 2.416,38, criação do 13º auxílio-refeição e aumento dos benefícios já existentes para R$ 622,00, fim da rotatividade e das metas "abusivas", melhores condições de saúde e trabalho e mais segurança nas agências.

Propostas
A Fenaban, braço sindical do sistema financeiro, informou por meio de nota que apresentou uma proposta no dia 28 de agosto. A mesma prevê reajuste salarial de 6%, que corrigirá salários, pisos, benefícios e Participação nos Lucros e Resultados (PLR). O piso salarial para bancários na função de caixa passará para R$ 2.014,38 para jornada de seis horas. Entre outros benefícios, está prevista a 13ª cesta no valor de R$ 359,42.

Fonte: G1 e Zero Hora

Créditos destaque: diarioonline.com.br

Créditos: portalsantateresinha.com.br