Na última terça-feira (02/08), uma audiência entre os integrantes da Vice-Presidência Regional da Federasul e o secretário de Infraestrutura e Logística do RS, Beto Albuquerque, colocou em pauta a ERS-118, uma das piores estradas da Região Metropolitana de Porto Alegre.

De acordo com Albuquerque, a retirada de 1005 famílias já cadastradas, localizadas, principalmente, em Sapucaia do Sul, é um dos principais gargalos para a duplicação da rodovia em seus cinco primeiros quilômetros. O custo estimado para a duplicação do trecho entre Sapucaia e Gravataí é de aproximadamente R$ 200 milhões.

Os integrantes da Vice-Presidência Regional da Federasul vão estudar a possibilidade de ir a Brasília cobrar uma maior participação do Governo Federal quanto à questão da desapropriação das famílias que ocupam as margens da via, já que existe uma emenda da bancada gaúcha, no valor de R$ 25 milhões, justamente para este fim.

O secretário informou ainda que, recentemente, cobrou, mais uma vez, agilidade nas obras de asfaltamento da rodovia, no trecho que vai do entroncamento da BR-116 (Sapucaia do Sul) ao da BR-290 (Gravataí), que tem a Construtora Triunfo como responsável.

Fonte: Correio de Notícias

Créditos Destaque: Blog Vida Cheia de Som e Fúria