Foto: Arquivo Pessoal
Rejane e Cláudia adotaram Fred há pouco mais de cinco anos. Arquivo Pessoal

Há muitos pais que adoram tirar fotos do filho, registram cada momento especial! Cláudia Maria Moura Farah e Rejane Ferreira Maciel são assim com o cãozinho Fred, adotado em 2015. O primeiro dia em casa, a hora do sono, os preparativos para uma festinha… Elas têm registros de tudo isso. Indiscutivelmente foi amor à primeira vista! Cláudia lembra cada detalhe do processo de adoção do pet, que começou logo após o compartilhamento de uma foto nas redes sociais.

A técnica administrativa que pensava ter um pastor alemão se encantou pelo vira-lata até então chamado de Fubá. Ligou para Cynthia Barcelos, que estava responsável, temporariamente, pelo animal e manifestou o interesse. Já havia um possível adotante para o cão, por isso deixou o número de telefone para ser contatada caso surgisse a oportunidade. E isso aconteceu. A protetora retornou a ligação e agendou um dia para levar Fubá à casa delas, em Porto Alegre. “Quando ele desceu do carro e fui recebê-lo… Meu Deus! Meu amor foi maior ainda quando o vi pessoalmente. Ele é muito amoroso. Não incomoda, é educado. Encheu nossa casa de alegria”, conta Cláudia.

Fred, como foi chamado pelas tutoras desde o primeiro encontro, foi recepcionado com todo o carinho. Brinquedos, cama confortável, potes de comida e água foram cuidadosamente escolhidos para o novo integrante da família, que conquista a todos com sua educação e jeitinho doce. Além de fofo, o cachorrinho é esperto e obediente, pedindo para abrir a porta quando quer fazer cocô e xixi. Quando termina, bate na porta novamente para entrar. E mais: só entra se disserem que “pode”. Passados mais de cinco anos, as adotantes não têm dúvidas de que fizeram a escolha certa. Fred ganhou um lar. Elas, um filho. E todos, muita felicidade!

*Matéria publicada na Evidência de março.