Daiane com a alegre Alci, adotada em 2019. Foto: Arquivo Pessoal

A linda Alci, uma mistura de cão sem raça definida com Chow-Chow, ganhou um lar após ter enfrentado tempos difíceis. Em setembro de 2019, ela foi adotada por Daiane Lampe Reinke, que trabalha como autônoma. Não recebeu apenas uma casa para ficar, mas uma família carinhosa e a companhia de outro animal. A tutora revela que tinha duas cadelas, mas uma ficou doente e morreu. Com isso, a querida Estrela acabou entrando em depressão, situação que se reverteu com a chegada da nova amiga. “Decidimos adotar, porém no começo achamos que não daria certo. Mas a Estrela adotou a Alci como filha, sentimento recíproco. Ela chegou e preencheu o vazio que havia ficado em nossos corações. Enche a nossa vida e a casa de alegria.”

Hoje em dia, Daiane não consegue se imaginar sem os cães. E recomenda a adoção com muita responsabilidade. “Adotar é um ato de amor! Adotar salva a vida e a dignidade dos animais que estão abandonados e em sofrimento”, ressalta. Quando chegou na nova casa, Alci ainda estava amedrontada. Não conseguia passear de carro sem passar mal, condição que é bem diferente agora. Ela adora passear, a pé ou de automóvel fica faceira em andar por aí. Com muita energia para gastar, a cadela também aprendeu com a convivência. “Era bem possessiva quanto a alimentos. Com o passar do tempo isso foi diminuindo e aprendeu a compartilhar”, comenta a adotante.