Radiologista é proprietário da Raio Som. Foto: Revista Evidência

Todos já ouvimos, alguma vez na vida, que para ser feliz profissionalmente é preciso trabalhar com o que gostamos. Mais do que um comentário corriqueiro, esse é um fato. E o médico Rubens Manoel Terra Lucas sabe bem disso. Ele comemorou, no dia cinco de dezembro, 50 anos de carreira. Atualmente, o proprietário da Raio Som mantém um ritmo de trabalho mais tranquilo, prestando atendimento em dias alternados. Mas, abandonar definitivamente o consultório não está nos planos. A intenção é continuar se dedicando à profissão que, além de desafiadora, sempre lhe trouxe muitas alegrias.

Ao festejar as cinco décadas da formatura em Medicina, o radiologista brinda, com orgulho, o fato de que construiu uma bela história, marcada por muito esforço, garra, responsabilidade e comprometimento. Filho de pequenos produtores rurais – Dorval e Anna –, Rubens e outros dez irmãos tiveram que se empenhar, desde a infância, para garantir os estudos. “Nossos pais, mesmo que não tivessem frequentado bancos escolares, cobravam a necessidade de estudar para conseguirmos êxito no futuro”, conta. Ele recorda que a rotina estudantil começou em uma escola no Distrito de São Simão, em Mostardas. A instituição ficava a um quilômetro e meio de casa. Tinha que ir a pé, encarando as condições climáticas. No inverno, por exemplo, o jeito era ir “quebrando o gelo pelo caminho”.

Na década de 50, Dorval e Anna compraram um terreno em Santo Antônio da Patrulha, onde construíram uma modesta residência de madeira. A família se mudou e Rubens passou a estudar no Colégio Santa Teresinha. Foram para Porto Alegre depois, acolhidos com muito amor e carinho por familiares. Na capital, ele estudou no Colégio Júlio de Castilhos. Pensou em seguir carreira na aeronáutica e engenharia, mas descobriu a vocação para médico. Na primeira tentativa para ingressar na faculdade não foi aprovado, assim como o irmão José Acursio, que também se identificou com a profissão. Determinados, fizeram o vestibular no ano seguinte, desta vez alcançando o objetivo. Rubens entrou na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e o irmão na Universidade Federal de Pelotas (UFPEL).

No início dos anos 70, o médico fez residência em Radiologia, no Hospital Lazarotto. “Naquela época era o hospital mais bem equipado de Porto Alegre”, comenta. Em 1972, a convite do Dr. Mário Fernandes Berlitz, que foi seu professor e tornou-se grande amigo, veio para Gravataí com a proposta de iniciar o serviço de Radiologia do Hospital Dom João Becker. “Não vacilei! Aceitei o convite e comecei a batalha. Ainda que me faltasse experiência, me considerava preparado”, destaca. Ao lado de colegas, como Mário Berlitz, Issao Ymay, Floriano Tôrres, entre outros, foi exercendo o trabalho sempre com muita dedicação. “Mesmo que, na ocasião, as condições técnicas do hospital fossem limitadas, eu me agigantava para ajudar quem precisava. O nosso trabalho era laborioso, não havia escala nem horário de serviço. Durante muitas noites e feriados, eu, com dignidade, dei a minha contribuição”, relata.

Ao comandar a Raio Som, Dr. Lucas buscou a parceria de um profissional qualificado, honesto, pronto a encarar o desafio ao seu lado. Tornou-se então sócio de Paulo Augusto Santos Silva. Com o apoio dos filhos Jarbas Terra Lucas e Gustavo da Rosa Silva e dos demais colaboradores, os empreendedores viram a clínica crescer e se tornar referência no segmento da Radiologia. A empresa conta, atualmente, com a colaboração de 18 profissionais. Hoje, ao celebrar os 50 anos de carreira, o médico demonstra satisfação e alegria por ver que conquistou a confiança de tantos pacientes. “Fico feliz quando um cliente, um amigo procura a nossa clínica e pede para fazer um exame comigo”, salienta. O radiologista é casado com Gislaine Bichinho Lucas, tem três filhos e três netos.

*Matéria publicada na edição de dezembro da Revista Evidência.