NOTÍCIAS

Pesquisa do Ministério da Saúde aponta crescimento do índice de obesidade no país

Gravataí conta com um Centro de Nutrição e Qualidade de Vida, no qual cerca de 60 pacientes são atendidos atualmente

Uma pesquisa divulgada pelo Ministério da Saúde, esta semana, aponta que uma em cada cinco pessoas no país está acima do peso. Entre 2006 e 2016, o índice de brasileiros que possui a doença passou de 11,8% para 18,9%. Diabetes e hipertensão também tiveram um crescimento considerável, sendo que o aumento da obesidade pode ter colaborado para esse acréscimo. Especialistas indicam que as doenças crônicas não transmissíveis pioram a condição de vida e podem inclusive levar à morte. O índice de obesidade aumenta com o avanço da idade, mas, mesmo entre os brasileiros de 25 e 44 anos, o percentual é alto: 17%. O estudo também mostra a mudança nos hábitos alimentares da população. Os brasileiros estão consumindo menos ingredientes considerados básicos e tradicionais. Apenas um entre três adultos consome frutas e hortaliças em cinco dias da semana.
 
Segundo o secretário municipal da Saúde, Laone Pinedo, Gravataí acompanha esses índices e diversos são os fatores que desencadeiam a obesidade, tais como a mudança no estilo de vida e nos hábitos alimentares, alinhados à falta de atividades físicas. "A obesidade é um fenômeno mundial. O ambiente da atualidade é obesogênico: as pessoas estão mais aceleradas, não cozinham mais suas próprias refeições, almoçam fora ou alimentam-se de lanches rápidos e tornaram-se sedentárias. Tudo isso colabora para o desenvolvimento da obesidade", comenta. No município, o Centro de Nutrição e Qualidade de Vida (Cenq) é o responsável pelo tratamento gratuito de pacientes com obesidade, através do Programa Viva Mais Leve. O local, que atualmente está assistindo 60 pacientes, conta com psicólogos, médicos endocrinologistas, nutricionistas e educadores físicos para oferecer atendimento qualificado e acompanhamento completo aos usuários. "Mensalmente o serviço realiza cerca de 200 atendimentos tanto para pacientes obesos, quanto de outros transtornos alimentares, oferecendo serviços individuais e em grupo", ressalta a coordenadora do espaço, Margarete Kaiser.
 
A nutricionista do Cenq, Fátima Silveira, explica que o acesso ao serviço é feito via rede básica de saúde. O tratamento costuma levar de oito a 12 meses e consiste em avaliações e consultas individuais, prescrição de dieta personalizada, além de atividades em grupo, realizadas semanalmente. "O tratamento é completo, vai desde a reeducação alimentar, passando pela prática de atividades físicas e acompanhamento psicológico. A obesidade é uma doença crônica, que pode desencadear outras enfermidades como diabetes e hipertensão e por isso deve ter monitoramento constante", frisa. O Cenq fica na Rua Quintino Bocaiuva, 183 (parada 74). O telefone é 3600-7750.
 
Fonte: Prefeitura de Gravataí
 
comentários (0) faça seu comentário

- nenhum comentário foi encontrado para esta notícia.